Publicidade
Quinta-feira,21 de Novembro de 2019  
Busca
Menu
Histórico Associação
Diretoria
Palavra do Presidente
Fotos da Associação
Álbum de Eventos

Serviços
Dentista
Serviço Jurídico
Serviço de Despachante

Variedades
Esporte
Cidade
Telefones Úteis
Saúde

Guia Saúde
Plano Associação
Médicos Conveniados
Laboratórios Conveniados
Óticas Conveniadas
Radiologia / Raio X
Médicos Conveniados 2
Protético
Acupuntura
Podóloga

Parceiros
Cidades
RSS Imprimir esta notícia Enviar por e-mail esta notícia
 

Idosos são a única faixa etária que cresce em planos de saúde

Idosos são a única faixa etária que cresce em planos de saúde

Cidades 22/10/2018 | Por

O número de idosos beneficiários de planos de saúde cresceu 2,5% em agosto deste ano, na comparação com o mesmo mês de 2017, segundo o Iess (Instituto de Estudos de Saúde Suplementar).

O percentual destoa das demais faixas etárias: houve redução de vidas de 0 a 18 anos (0,6%) e de 19 a 58 anos (0,3%).

As despesas assistenciais com pessoas de 59 anos ou mais deverão superar a soma das demais em 2030 e chegar a R$ 213,8 bilhões, diz o instituto.

A disparidade entre o número de jovens e pessoas mais velhas preocupa o setor, diz Marcos Novais, economista-chefe da Abramge (das empresas de medicina de grupo).

“A legislação impõe uma espécie de subsídio entre gerações: uma pessoa na última faixa etária não pode pagar mais do que seis vezes o valor da primeira”, afirma.

“Isso faz que o preço seja um pouco maior para jovens, e menor para idosos. É uma situação especialmente perigosa se os mais novos não entram [no mercado de saúde suplementar], parecida com o dilema da Previdência.”

O envelhecimento da população e o desemprego durante a recessão foram os principais fatores que levaram a um  desnível entre faixas etárias, segundo José Cechin, diretor-executivo da Fenasaúde (que reúne grandes operadoras).

Entre possíveis soluções para a questão estão modelos de capitalização (em que o beneficiário contribui para garantir o futuro do próprio plano) e maior oferta de produtos com coparticipação e franquia, afirma Cechin.

Concentração segura

As aquisições e fusões vão se intensificar no setor de seguros, segundo a consultoria KPMG, que fez um estudo global sobre o tema.

A maioria (80%) dos executivos de grandes empresas afirmou que há planos dessa natureza para os próximos três anos.

A principal razão para o movimento é a intenção de mudar a maneira como as operadoras obtêm suas receitas, o que a consultoria chama de modelo de negócios.

“As maiores empresas do setor querem comprar outras que deem a elas novas capacidades”, afirma Fernando Mattar, sócio da KPMG. 

Adquirir concorrentes para ficar com a base de clientes também é um motivo, mas o menos comum na lista dos apresentados.

A concentração deverá levar mais tempo para acontecer no Brasil, diz Mattar, pois há incertezas econômicas.

 

Fonte: Folha de S.Paulo

Voltar
 

Comentários Publicados

Páginas: 1
 

Enviar seu comentário


Nome:
Email:
Endereço:
Telefone:
Comentário:


 
 
Parceiros
HOME | SOBRE O SITE | EXPEDIENTE | ANUNCIE AQUI | FALE CONOSCO

Associação dos Aposentados e Pensionistas de Catanduva e Região
Rua Municipal,1110 - Higienópolis

 Catanduva-SP     Fone: (17) 3523-1148

Associação Catanduva | © Todos os direitos reservados.